Estudante de Psicologia conclui pós na área de Saúde

 

A aluna Roberta D’Avanzo Sant’Ana, do 4º ano de Psicologia do Imes, formada em 2005 em Comunicação Social também no Imes, concluiu recentemente sua Pós-graduação em Psicopedagogia Clínica e Institucional, apresentando o artigo científico “Um olhar sobre Autismo e suas características no desenvolvimento humano”.
De acordo com Roberta, agora Psicopedagoga, o artigo demonstra que o autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento e causa impactos importantes no desenvolvimento da criança e pode ser ou não associado a um comprometimento cognitivo.
“O Espectro Autista ou Transtornos do Espectro Autista engloba diagnósticos que variam conforme a área afetada de menor ou maior prejuízo para a criança nas áreas da comunicação, comportamental e interação social, apresentando comportamentos restritivos, estereotipias e repetitivos. O autismo é reconhecido a uma dificuldade em relação às expressões das emoções. Até o momento, o autismo não tem cura, porém as buscas de novos tratamentos não cessam novas pesquisas estão surgindo sobre o cérebro em busca de algo novo”, comentou.
Segundo a aluna, o tratamento, mais recomendado, em primeiro lugar é o amor, atenção, compreensão e carinho, por parte da família e demais. O autista deve ser estimulado, respeitado e incluído no meio social, para acreditar em seu potencial. O tratamento de uma criança com autismo exige vários profissionais envolvidos, além do trabalho em conjunto da família e da escola proporcionando um desenvolvimento e bem estar do autista. “Sair da faculdade com uma pós-graduação, na qual é meu intuito de trabalho, é um diferencial muito grande, um aprendizado de suma importância para minha futura carreira”, finalizou Roberta.

roberta

Alunos de Psicologia participam de Seminário e Simpósio na região

Os alunos do 3° ano de Psicologia do Imes Adriano Virches, Eloisa Duarte e Tatiana Lamanna Lopes participaram, nos dias 18 e 19 de setembro, do “Simpósio de Psicopedagogia”, realizado na Associação Comercial e Empresarial (Acirp) de São José do Rio Preto. O evento contou com temas como “Papel do psicólogo educacional e orientação a pais com filhos com TDAH”, “Discalculia”, “Dislexia”, “Psicopedagogia no processo de ensinagem e aprendizagem”, “Psicomotricidade – o movimento que ressignifica a aprendizagem”, dentre outros. “Pudemos ampliar nossos conhecimentos e maximizar as possibilidades nas amplas áreas da Psicologia. Se queremos ser bons profissionais, precisamos nos manter atualizados e dispostos a aprender permanentemente”, comentaram os estudantes do Imes que participaram do Simpósio.

E no dia 30 de setembro, as alunas do 3° ano de Psicologia do Imes Camila Fernanda Martine, Giovana Cunha, Letícia da Costa Nunes e Tatiana Lamanna Lopes participaram do “IX Seminário Internacional sobre Delinquência Juvenil”, promovido na Faculdade de Direito da USP/Ribeirão Preto. O evento contou com presenças ilustres, como Marcus Alan Melo Gomes, advogado, professor e Pós-Doutor em Direito e Democracia pelo Centro de Direitos Humanos, que palestrou sobre o tema “A criminologia no mundo lusófono e a experiência da Associação Internacional de Criminologia de Língua Portuguesa”, além de Emílio C. Viano, com a conferência “O que funciona e o que não funciona na mudança de comportamento?” e Cláudio do Prado Amaral, com a conferência “Os princípios da Lei do SINASE”.

psico01

psico02

Professora do Imes defende Mestrado na área de Psicologia

A professora do Imes Daniela Bianchi defendeu, em fevereiro, sua dissertação de Mestrado do Programa de Mestrado Stricto Sensu em Saúde e Educação da Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). O título do trabalho foi “Análise da Qualidade do Serviço de Avaliação Psicológica para o Trânsito sob a Ótica do Candidato à Obtenção de Habilitação”, cuja pesquisa deu-se em Catanduva.
A aluna foi aprovada pela banca especializada, composta pelos professores Dr. Edilson Carlos Caritá (Unaerp), Drª Silvia Sidnéia da Silva (Unaerp) e Drª Esmeralda Aparecida Colombo Barletta (UEL).
Psicóloga e professora em cursos de Psicologia e Comunicação do Imes Catanduva, Daniela Bianchi é graduada em Psicologia, pós-graduada em Psicanálise, MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, Perita Examinadora de Trânsito e Especialista em Psicologia do Trânsito. Atua com docência no Ensino Superior nas disciplinas de Técnicas de Avaliação Psicológica, Psicodiagnóstico Clínico, Psicologia Aplicada à Odontologia, Comportamento Organizacional, Psicologia aplicada à Nutrição, Psicologia Aplicada à Administração, Seminários Avançados em Tópicos Emergentes, Desenvolvimento Gerencial e Ética Profissional e Psicologia do Escolar e Problemas de Aprendizagem, além de Supervisão de Estágios.

IMG_2377

 Professores da banca com a aluna – Esmeralda, Silvia, Daniela e Edilson.

Professor do Imes publica artigo em revista mexicana

O Prof. pós-Dr. Edison Bariani Junior, docente de Sociologia em cursos do Imes Catanduva, publicou o artigo “Horror à isonomia: as eleições no Brasil em 2014” na revista mexicana Contextualizacionaes Latinoamericanas, da Universidade de Guadalajara. O texto analisa as eleições no Brasil com base em uma perspectiva sociológica das relações de classe na sociedade brasileira e suas implicações políticas. O autor já havia publicado anteriormente no México os artigos “Elecciones en Brasil y la judicialización del proceso político: un diálogo entre sordos y mudos” e “A sociologia brasileira nos anos 1950: heterogeneidade e heteronomia”. O artigo atual está disponível no seguinte endereço eletrônico:   http://www.contextualizacioneslatinoamericanas.com.mx/index.php

Professor de Psicologia do Imes publica novo livro na área de Sociologia

O professor Edison Bariani Junior, do curso de Psicologia do Imes Catanduva, publicou recentemente seu novo livro, intitulado “Uma Sociologia abortada: Tobias Barreto e a crítica da Sociologia”.
De acordo com Bariani, o livro aborda a história da Sociologia no Brasil e a interessante contribuição de Tobias Barreto, que, ao negar a existência da Sociologia como ciência, construiu um arsenal crítico que não só problematizava a constituição científica do estudo da sociedade, mas também tacitamente propugnava por uma nova ciência social. “Todavia, tal crítica e proposta ficaram depositadas sob o pó do silêncio ou da má compreensão, soterrando a novidade para a construção de uma visão hegemônica da sociologia como ciência positiva e naturalista que, sob certos aspectos, vige até hoje”, comentou o autor.
Bariani, que é Doutor e pós-doutor em Sociologia pela Unesp, também professor da Faculdade de Itápolis-SP (Facita) e Faculdade Santa Rita (Fasar), de Novo Horizonte-SP, já possui vários livros publicados, como “Administração pública no Brasil: breve história política” (com Christina W. Andrews), “A sociologia no Brasil: uma batalha, duas trajetórias – Florestan Fernandes e Guerreiro Ramos” e “Guerreiro Ramos e a redenção sociológica: capitalismo e sociologia no Brasil”.
O livro “Uma Sociologia abortada: Tobias Barreto e a crítica da Sociologia” pode ser encontrado pelo site

http://www.editoracrv.com.br/?f=produto_detalhes&pid=30855

livro bariani

Alunas de Psicologia do Imes apresentam trabalhos científicos na Fasar

Cinco alunas do 2º ano do curso de Psicologia do Imes Catanduva apresentaram trabalhos científicos na “XII Semana Acadêmica” e “VI Congresso de Iniciação Científica” da Faculdade Santa Rita (Fasar), no dia 09 de setembro. Camila Fernanda Martine e Tatiana Lamanna Lopes apresentaram o tema “Drogas na Questão Organizacional”; Bruna Pazeli e Giovana Cunha, o tema “Inclusão, faça parte!”; e Izabel Ferreira Costa, “Motivação: mola propulsora em nossa vida”.
Segundo as alunas Camila e Tatiana, o tema abordou o problema social das drogas mais consumidas, lícitas e ilícitas, que afetam de maneiras diferentes o organismo do indivíduo. “Todas elas são de fácil acesso e é justamente por isso que já não se restringem a becos e favelas, ao contrário, hoje não é possível determinar quem usa. Sobre a questão organizacional, aquele que não está apto a desenvolver suas atividades por causa do abuso de droga coloca em risco sua própria vida, a dos seus colegas de trabalho e a própria empresa. Por outro lado, quando este funcionário é vítima das drogas, por problemas psicológicos, por descontrole emocional, agravantes na infância, predisposição ou outros, e usa-as como refúgio, pode gerar outros tipos de agravantes como o bullying”, comentaram.
Já o trabalho de Bruna e Giovana, sobre inclusão, “vivenciamos a era da acessibilidade, embora nem sempre e nem todos sejam contemplados. Nos dias atuais possuímos muitas formas de inclusão social, seja ela racial, para portadores de doenças crônicas ou deficientes físicos, mas ainda encontramos obstáculos em todas as instituições e acabamos de mãos atadas. Sem muitos recursos públicos para capacitação de profissionais fica difícil conseguir dar suporte e assistência educacional e psicológica para crianças, jovens e adultos nas instituições. Portanto as atenções dos profissionais da educação devem estar voltadas para que estimulem o máximo possível seus alunos, incentivando assim a construção de uma possível carreira profissional, sem pular etapas de seu desenvolvimento e respeitando o limite de cada um”, informaram.
Por fim, a pesquisa de Izabel, tratou a motivação de um indivíduo, que depende da força de seus motivos, entendidos como desejos ou impulsos. “Os motivos que impulsionam e mantêm o comportamento dos indivíduos são as ‘molas’ da ação. Pode-se dizer também que os motivos são as necessidades e que os indivíduos são movidos pelas necessidades. O indivíduo motivado é aquele que tem ambição em acertar, de fazer, de ser o melhor, concentrando todo seu esforço em chegar ao alvo, ao objetivo. Todas as teorias de motivação têm como finalidade o resultado da interação entre indivíduo e as situações, dessa maneira entenderam que a motivação varia de pessoa para pessoa e do momento em que estas estão vivendo”, finalizou a estudante.
As alunas agradeceram os seguintes professores que auxiliaram nas pesquisas: Dr. Edison Bariani Junior, Dr. Maurício Ferraz de Arruda, Heraldo Galvão, Leandro Rosa e Glauco Ortega Fernandes.

texto-congressso

Alunas de Psicologia apresentam trabalho em Semana na Fasar

Estudantes do 2º ano de Psicologia do Imes Catanduva, Roberta D’Avanzo Sant’Ana, Naiara Oliveira e Michele Pereira estiveram presentes na 12ª Semana Acadêmica e 6º Congresso de Iniciação Científica da Faculdade Santa Rita (Fasar), em Novo Horizonte. As alunas foram convidas a compor as palestras apresentadas aos alunos de Administração, no dia 08 de setembro, com o tema “Inclusão Social: Como ingressar um portador de Síndrome de Down no mercado de trabalho”.
Esse trabalho já vem sendo desenvolvido pelas alunas, que fizeram um estudo na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Catanduva, visando os acompanhamentos psicológicos, a observação de técnicas utilizadas nos tratamentos e como é feita a inclusão no mercado de trabalho dos portadores da Síndrome de Down.
“O intuito desse estudo é demonstrar que a aceitação do portador da Síndrome de Down no mercado de trabalho ainda é restrita; mesmo o governo brasileiro criando cotas, as empresas não dispõem de vagas suficientes para portadores de deficiência intelectual, mesmo que esses tenham tido acompanhamentos e se desenvolvido para se adaptar ao mercado de trabalho”, comentou as alunas Naiara e Michele.
Segunda a aluna Roberta D’Avanzo Sant’Ana, o mercado de trabalho é, essencialmente, para a sociedade capitalista uma possibilidade de inserção no circuito de produção e consumo, entretanto para os portadores da síndrome é um motivo de autorrealização, auto-estima, autoconfiança e aceitação. “Para que o processo de inclusão seja bem sucedido e ampliado, seria necessário elucidar as reais limitações do portador e suas capacidades, para que novos campos de trabalho sejam abertos, e assim eliminar o preconceito”, explicou.

002 003 004